Orçamento Participativo na Freguesia de Benfica – Proposta

A Cultura como meio ou forma de um conjunto de processos sociais de significação, de produção, circulação e consumo da significação na vida social
(García Canclini, 2004: 34)

A proximidade entre cultura e sociedade assume a importância de reconhecimento da identidade de um povo, de sua relação sensível e subjetiva com o real, o modo como (re)organizamos e nos relacionamos em sociedade. O convívio e o diálogo com bens culturais, traz a sociedade a geração de conhecimento, o estímulo ao pensamento crítico e a afirmação de sua identidade, além de fortalecer o sentido simbólico do coletivo numa comunidade

Desta maneira, tornar a arte pertinente em meios pouco habituais é deslocar o nível de relação entre artista e público afim de difundir ações artísticas e populares que incentivem o reconhecimento desta identidade, e promova o diálogo com pensamentos e práticas da comunidade contemporânea, estimulando a criatividade e imaginação dos indivíduos e o acesso facilitado a materiais e bens culturais com diversidade e qualidade.

Esta proposta traz uma linha de intervenção que promova este encontro através da troca de experiências, pelo convívio, diálogos, eventos e a ampliação de leituras e relações tanto com o mundo contemporâneo como a relação com o espaço da memória mediado pelo universo artístico. Procurando estimular ações que se realizem em diversos ambientes da Zona de Benfica, e contemplando diferentes faixas etárias, ampliando o espaço de intervenção pelo auxílio e apoio de parceiros que agreguem suas ações à proposta apresentada à OP, criando uma rede de colaboradores que promovam não só o interesse pelo consumo de atividades locais, como também amplie a visibilidade de espaços de tais agentes catalisadores.

Deste modo, dinamizar-se-ão ações que estejam disponíveis para comunidade e que potencialize as relações locais, valores coletivos, civis, que fortaleça os laços familiares e impulsione a sensação de afeto com o lugar que habitam e convivem.

Assim, trazer à Freguesia de Benfica tais recursos e iniciativas é despertar para uma construção afetuosa e simbólica com o lugar que se habita e é habitado, ao incentivar o acesso a outros modos de produção e difusão cultural que alcance outras localidades, meios sociais e espaços para também “angariar” outros públicos e outras maneiras de incluir a arte junto às sociabilizações dispostas pela Zona de Benfica, veiculando uma programação cultural e artística que procure ações co-participativas para o conteúdo do programa de intervenção artística e cultural.

Deste modo a iniciativa pública é um forte agente para impulsionar e incentivar estratégias que a difusão cultural venha estreitar relações entre espaço público- públicoarte- cultura; ao abranger criações e iniciativas artísticas que não estejam apenas voltadas ao interesse da Industria Cultural e promovam outros olhares e valores positivos junto aos moradores.

A proposta aqui apresentada ao Orçamento Participativo vincula a realização de atividades que tenham como chave para sua execução a transversalidade na realização e execução de práticas artísticas e dinâmicas culturais para que contemplem a inter-relação entre diferentes faixas etárias e espaços urbanos da JFBenfica.

Tais ações serão dividas em três linha de intervenção para a animação e programação cultural/artística. Sendo definida prioritamente pelas linhas bases:

01 – Ação cultural e Artística – Oferta de conteúdos artísticos como teatro, exposições e recitais em diferentes espaços da Junta de Freguesia de Benfica

02 – Ação Sociocultural – Realização de projetos que contemplem três nichos sociais:
– Crianças e escolas
– Jovens e Escolas
– Seniores
– Famílias

03 – Animação Cultural – Ações para convívio coletivo e experiencias compartilhadas.

Aqui apresenta-se cronologicamente as ações a serem realizadas:

> 02 meses
– Levantamento estatístico quanto aos costumes de consumo de bens culturais, frequência aos equipamentos culturais, conteúdos de preferenciais, e atividades em tempos livre.
– Levantamento dos espaços potencialmente catalisadores e promotores de atividades culturais ou artísticas – Linhas de ação e públicos de interesse e possibilidades de colaboração com as ações do projeto.
– Análise dos espaços públicos pontenciais acolhedores de atividades culturais e artísticas

> 01 mês
– Angariação de colaboradores e diálogos com comunidade comerciante para apoios locais
– Esquematização e distribuição das atividades culturais e artísticas
– Programação e conteúdos

> 01 mês
– Apresentação das propostas de ação junto à Junta de Freguesia
– Divulgação junto à comunidade local/moradores

> 03 meses
– Realização dos eventos

> 01 mês
– Relatório de Atividades e resultados obtidos

Lisboa, Março de 2012
Augusto Ribeiro
João Guimarães
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s